Degustação de Cerveja – Parte 2 de 3

No artigo anterior conhecemos um pouco sobre a degustação e seus tipos, agora vamos aprender mais sobre como conduzir uma degustação corretamente.

Taças ISO, copo de água e anotações

Aqui vão algumas dicas para sua degustação ser um sucesso:

  • Utilize taças ISO. Elas são utilizadas em concursos, análises e degustações profissionais. Caso não as tenha, pode-se usar taças e copos curinga, como o pokal, tulipa ou ½ pint sem desenhos ou rótulos, assim fica mais fácil analisar a aparência da sua bebida!
  • Organize tudo com antecedência. Tenha certeza que tudo está dentro dos conformes: cervejas na temperatura correta, copos limpos e secos, trace a ordem das cervejas a degustar. Caso tenha diversos estilos a provar, sempre caminhe da mais clara pra mais escura e da mais fraca para a mais forte. Uma cerveja muito alcoólica ou com muitas notas torradas pode mascarar o paladar de cervejas mais leves se degustada primeiro.
  • Esteja atento à temperatura da cerveja. Aquela “estupidamente gelada” contrai as papilas gustativas de sua língua, diminuindo paladares e sensações de boca. Cada estilo de cerveja tem sua temperatura correta de serviço. Algumas indicam no próprio rótulo, mas via de regra, sirva entre 7º e 12º C.
  • Nunca encha o copo! Estamos aqui pra aprender mais sobre a bebida e apreciá-la com calma, então nada de entortar o caneco. Uma degustação por padrão serve em média 100 ml da bebida, com isso você consegue provar várias sem se alterar e temos espaço no copo pra concentrar os aromas e observar a formação de espuma.
  • Tenha copos com água para limpar o paladar entre uma cerveja e outra. Pode-se também servir pãezinhos (desde que sem tempero) ou bolacha água e sal. O importante é neutralizar o sabor da cerveja anterior antes de partir pra próxima, então nada de petisquinhos fortes!
  • Tenha em mãos um guia de estilos, não é obrigatório, mas assim você pode analisar se cada cerveja está dentro dos padrões do estilo que propõe. O BJCP (Beer Judge Certification Program) é o mais utilizado no Brasil em campeonatos, mas você pode usar o guia da Brewers Association também!

Artigo publicado originalmente na revista “Cerveja de Todos os Jeitos” em Março de 2018.

Adquira o livro A Mesa do Mestre Cervejeiro de Garret Oliver no Amazon.

Fred Banionis

Sommelier, homebrewer, bartender, barista, fotógrafo, motion designer e nas horas vagas ser humano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pin It on Pinterest